Região Metropolitana Interior Brasil Mundo

Servente é morto a tiros dentro do carro quando saía de casa para o trabalho no Quixabeirinha

| POR: DGM

Servente é morto a tiros dentro do carro quando saía de casa para o trabalho no Quixabeirinha


Mais um crime de homicídio provocado por disparos de arma de fogo em Mossoró na região Oeste do Rio Grande do Norte, o sétimo do ano de 2017. O crime aconteceu por volta das 06h00min desta sexta feira 13 de Janeiro de 2017, na Rua Antônio Firmino no bairro Aeroporto II (Quixabeirinha). 

A vítima, o servente de pedreiro identificado como Clesivan Moura Feitosa de 35 anos,natural de Severiano Melo RN, foi executado com 9 tiros de pistola 380 dentro do seu veículo, um gol de cor branca com placas de Natal RN. Segundo informações da Polícia Militar, a vítima saía de casa para trabalhar, quando foi surpreendida por dois homens que chegaram de repente em um moto Bros e começaram a atirar. 

Clesivan não resistiu e morreu dentro do carro. Familiares informaram à Polícia que a vítima já havia sofrido um atentado a cerca de três meses, mas sobreviveu. Ainda de acordo com as informações, após o atentado ele teria ido embora para o sertão, mas havia retornado há poucos dias. 

A Polícia ainda não tem informações sobre a motivação e a autoria do crime. O que a Polícia sabe é que não há registros de antecendentes criminais contra a vítima. As investigações que ficarão a cargo da Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP),é que deverão esclarecer o crime. O corpo do servente de pedreiro, foi removido, após a perícia no local realizada pela equipe do ITEP com acompanhamento da equipe da Delegacia de Plantão e será necropsiado e depois liberado para sepultamento. 

Este é sétimo homicídio registrado em Mossoró, neste ano de 2017. Dos 7 Crimes Violentos Letais Intencionais praticados na cidade neste mês de janeiro, nenhum foi esclarecido. A DHPP está sem estrutura para elucidar os homicídios. A Divisão tem mais de 500 inquéritos de homicídios e no momento conta com apenas um delegado e sete agentes de campo, sendo que um vai se aposentar no próximo mês e outro vai fazer doutorado na França, ficando assim a DHPP com apenas cinco homens de campo.


0 comentários:

Postar um comentário